segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Caminho...

                         
Caminho

Ah, ter a evidência ofuscante
Do milagre que somos:
Chama do silêncio
Delírio sem vertigem

Desejo te amar... demais... e tanto!
Sobre a tua água
A escorrer-me agora... pelo corpo
Praia deserta... desabitada...
Sombra nua do meu adiado desejo

Nela lavo-me, purifico-me
busco um tempo anterior à vida

Aprendemos a verdade... juntos? ...Onde?
Na transparência oculta de cada gota, talvez....
Talvez na noite orvalhada
no limiar de um tempo perdido,
no deslumbramento da vida que não vivemos

No recomeço do começo
no esplendor ofuscante da madrugada
desabrocha translúcida a flor da comunhão...

Na seiva sôfrega dos lábios amantes
os teus e os meus...
E, num palpitar de fôlego exausto
descobrimos o caminho da plenitude...

Chegamos...
_____________________

Autora: Zenóbia Collares Moreira


Nenhum comentário: